30 de setembro de 2014

Curiosidades + Fotos da Gravidez + Aviso para as Leitoras





Gurias!!Fiz esse vídeo na correria só para relembrar um pouquinho da minha gravidez!
Se quiserem dar uma olhadinha,ficarei muito grata! Bjoss

Curiosidades:
1° teste de farmácia:30/08/13

1° teste Hcg:05/09/13
1° ecografia:09/10/13
1° transfusão de sangue:06/11/13
1° consulta obstétrica:02/12/13
1° ecografia morfológica e quando descobri o sexo: 27/12/13
DUM:17/07/13
DPP:20/04/14
Dia do parto:07/04/14 ás 12:50pm


Espero que tenham gostado!

Para as minhas leitoras:Se quiser mandar foto de sua gravidez para o blog,farei um post especial!É só mandar para o meu e-mail viviane.santos1985@hotmail.com 
Identifique seu nome e as semanas de gestação que estava na foto.
Obrigada!

Bebê Agitado/Bebê Estressado

Olá pessoal!Tudo bem?
Hoje o post vai explicar alguns dos principais motivos por qual o bebê fica estressado e também agitado.
Confiram a matéria:


Bebê agitado:Como lidar?
Dar carinho e atenção é essencial,mas também é preciso estabelecer limites.
Crianças muito agitadas costumam causar preocupação nos pais, principalmente por não saberem a causa desse comportamento. Segundo a pediatra Renata Labrocini, professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis, os bebês já podem demonstrar sua personalidade desde muito pequenos. Por isso, existem crianças mais e menos agitadas.

Por que o bebê fica agitado?
O ambiente em que o bebê vive também pode refletir no seu comportamento, sendo de extrema importância que as pessoas que o cercam tenham uma boa convivência, para que a criança se sinta segura e fique feliz.
A pediatra ressalta que ter uma rotina em casa, como horários para refeições, para dormir e para brincar, é importante. "Deve-se dar limites para a criança desde cedo, mostrando a ela que existem ambientes em que ele deve ter um comportamento mais tranquilo e outros em que pode brincar bastante", explica.


Como acalmar o bebê?
A forma de lidar com a agitação do bebê irá depender do nível e do momento em que ocorre. "Muitas vezes a agitação quer dizer que o bebê está se sentindo inseguro, triste, incomodado, e, nestas horas, dar atenção é a melhor e mais simples solução", diz.
A orientação da pediatra é observar com atenção o comportamento do bebê para tentar identificar se há alguma coisa que o incomode e, consequentemente, o irrite, deixando-o agitado. "Conversar, dar carinho e atenção e brincar são essenciais. Para bebês bem pequenos recomenda-se aquecê-los, niná-los, colocar músicas suaves e cochichar para que se sintam protegidos como ficavam no útero da mãe", sugere.
Já para crianças maiores, a dica são algumas brincadeiras mais calmas, como desenhos, pinturas, leitura e vídeos. A prática de esportes também ajuda a gastar as energias dos mais agitados, além de contribuir para o desenvolvimento motor.

Bebês podem ficar estressados?
Sim. Para se ter uma idéia, o bebê já nasce estressado. Isso porque estava protegido em um ambiente acolhedor e, de repente, se vê completamente dependente dos adultos e em um local diferente. Durante os primeiros meses de vida, tudo o incomoda: as cólicas, a fralda suja, a fome, o frio, o calor... Todas essas situações geram um estresse que, normalmente, aparece em forma de choro ou inquietude. Mas não são somente os desconfortos físicos que provocam as irritações. Luzes fortes, barulho e excesso de estímulo também podem levar às lágrimas. “O estresse dos pais também influencia os filhos. É necessário que eles estejam tranqüilos para poder passar segurança ao bebê”, diz Antonia de Fátima Parente, pediatra especializada em neonatologia, em São Paulo (SP). Isso vale desde a gravidez. Pesquisadores da Universidade de Bristol (Reino Unido) acreditam que o estresse materno pode atravessar a placenta e causar alterações a longo prazo na criança, deixando-a naturalmente mais estressada.
Fonte:http://revistacrescer.globo.com/


Ps:O Jonathan é um bebê muuuuito bravo!
Mamãe já sentia dentro da barriga a braveza kkkk.
Quando alguma coisa não tá como ele gosta...vish!Sai de perto ou corram para as montanhas kkk!!
Vou explicar o que ele faz:
Nos primeiros meses quando ele estava afim de tomar a mamadeira,ele não avisava com choramingos,mas sim com berros,daquele de quase se afinar!
Ficava roxo,tossia e me enlouquecia!Alguém tinha que sair voando para fazer a mamadeira,enquanto eu ficava tentando acalmá-lo desesperadamente.
Pois bem...Agora com quase 6 meses,ele fica estressado quando está com sono,fica mega irritado se eu não embalo ele no colo e de pé!Isso mesmo,de pé,com quase 8kg!!
E quando eu demoro pra dar o peito quando estamos deitados(ele dorme comigo,na mesma cama),ele fica me dando cabeçadas até eu acordar kkk chega a ser engraçado!
De uns dias pra cá,ele felizmente pegou o bico e tenho notado que se acalmou consideravelmente!Mas se fica sem a chupetinha,aí começa o showzinho a parte do bebê:reclamações,chigamentos,palavrões em pensamentos kkkkkk.
Bom então é isso pessoal!
E como são os bebês de vocês?Calminhos ou estressadinhos?

Espero que tenham gostado!
Bjoss
E até a próximaaa!!

29 de setembro de 2014

Gostei e Não Gostei:Produtos de Higiene + Pesquisa (1° parte)

Olá pessoal!
Vou mostrar e falar um pouquinho sobre alguns produtos de higiene que gostei e que não gostei de usar no Jonathan.

Confiram:

Pomada para assaduras
Hipoderme ômega:
Na minha opinião não gostei desta pomada.Ela espalha bem,mas na hora de retirar,ela gruda bastante,e fica difícil removê-la.Minha mãe gosta bastante dela,por causa da tampinha que não é removível.

Babymed:
Gostei muito desta pomada,ela é bem consistente,fácil de espalhar,não gruda na pele quando retiro e é super barata,paguei R$4,90.

Lenço Umedecido
Freshquitas:
Este potão com 450 lenços ganhei no chá de fraldas.Gostei bastante.
Compraria de novo.


AgaBaby:
Os lenços umedecidos da AgaBaby é de uma rede de farmácias aqui do Sul chamada Agafarma.
Só tenho comprado estes refis grandes,pois duram mais,e não são tão encharcados em água.
E tem um cheirinho muito bom.Limpa bastante os resíduos.

Baby Poppy:
Este pote do elefantinho ganhei no chá de fraldas.Hoje eu uso outro refil e costumo levá-lo só para ir passear com o baby.

Sabonetes
Johnson's Baby Sabonete Hora do sono:
Eu costumava colocar este sabonete para dar um cheirinho dentro do guarda-roupas do Jon.
Ele é muuuuito cheiroso.O bebê só usou uma vez.Achei que ele faz bastante espuma.

Sabonete Johnson's Baby-Pele delicada:
Uso todos os dias no bebê.
Ele é muito cheiroso e não faz tanta espuma.
Ganhei no chá de fraldas também.
Aliás...ganhei uns 5 desses kkk.

Fralda
Pampers M Supersec:
Essa fralda ganhou o meu coração kkkk!!
Ela é ótima,maravilhosa,tudo de bom!!
É macia,não aperta nas coxas,dura um tempão,não vaza!
É excelente!
Cumpre o que promete!

Fralda PomPom M Protek Baby:
Gente...não gostei dessa fralda.Ela é mais cara que a Pampers,mas mesmo assim não valeu a pena!
Ela vazou,apertou nas coxinhas do meu filho,marcou e ficou vermelhinho.
Realmente não curti!
Tenho um pacotão aqui e não sei o que vou fazer com elas!

Fralda Turma da Mônica M Huggies:
Também não gostei!Até que tentei usar mais vezes,só que não deu,infelizmente...pois ganhei vários pacotes no chá de bebê.
Vendi alguns e fiquei com um pacotão ainda.Tenho que me desfazer dela.
Ela vaza e aperta!



Pesquisa
Bom pessoal,agora vou falar sobre a pesquisa que fiz com as mamães no site BabyCenter.
Eu fiz 4 perguntinhas sobre:
1-Qual a melhor pomada para assaduras e a mais votada foi Nistatina + Óxido de zinco.
2-Qual o melhor lenço umedecido e o mais votado foi Johnson's (a marca mais votada).
3-Qual o melhor sabonete e o mais votado foi Johnson's Da cabeça aos pés (sabonete líquido).
4-Qual a melhor fralda e a mais votada foi Pampers (a marca).

Agradeço as meninas que me ajudaram respondendo a pesquisa.
Se quiserem conferir o vídeo que fiz vou deixá-lo aqui embaixo.




Espero muito que tenham gostado!
Bjoss
E até a próximaaa!!

Shantala(Massagem para Bebês)


Olá pessoal!Tudo bem?
Hoje o post vai mostrar sobre o que é Shantala,de onde surgiu e um pouco da sua história.
Confira a matéria:
Shantala é uma técnica de massagem descoberta por Frédérick Leboyer,e consiste num momento diário de afeto entre mãe e bebê/criança.

A Shantala é uma massagem milenar indiana, sem registro de quando surgiu exatamente em Kerala no Sul da Índia. Foi descoberta quando o médico francês Frédérick Leboyer, de passagem pela Índia, se deparou com a cena de uma mulher numa calçada pública massageando seu bebê. Seu nome era Shantala, ela era paraplégica e estava numa associação de caridade em Pilkhana, Calcutá.
O ambiente que Leboyer percorrera até então era completamente hostíl, mas a cena da massagem fez com que a beleza e harmonia dos movimentos de Shantala transformasse tudo a sua volta.
Leboyer pediu para fotografá-la e filmá-la. Ela, admirada pelo interesse em uma prática tão simples e corriqueira, aceitou. Durante dias ele acompanhou a massagem de Shantala em seu bebê, captando atentamente cada movimento. Leboyer fez o possível para que as fotografias exprimissem a profundidade e o amor envolvidos.

“Sim, os bebês tem necessidade de leite,
 Mas muito mais de serem amados e receberem carinho
 Serem levados, embalados, acariciados, pegos e massageados”
LEBOYER

Em homenagem a essa mãe, o nome da técnica de massagem em bebês chama-se Shantala. Na índia, essa prática não tem um nome específico, pois trata-se de uma atividade que faz parte da rotina de cuidados com o bebê.
Graças à “descoberta” de Leboyer, e ao seu livro: SHANTALA, massagem para bebês: uma arte tradicional, Shantala vem sendo cada vez mais popular em todo o mundo e cresce a cada dia o número de pesquisas científicas que objetivam comprovar seus benefícios.
Mas há um aspecto que transpõe as pesquisas científicas e suas comprovações: A relação Mãe-Filho/Pai-Filho. Foi esse encantamento, a relação, interação e vinculação que encantou Leboyer e que no Ocidente vem a ser uma forma dos pais aprofundarem o vínculo afetivo com seus bebês.
Shantala traduz um momento especial oferecendo a oportunidade dos pais terem um contato mais prolongado com o bebê. O toque carinhoso é a melhor forma dos pais se aproximarem do bebê após um dia de trabalho, transmitindo amor e carinho através das mãos. Esse contato ajudará muito os pais a conhecerem o corpo do seu bebê e como se comunicam, isso é muito importante e ajudará em muito nos dias difíceis da criança (Denise Gurgel, 2009)


A massagem pode ser aplicada em bebês a partir de uma mês de idade, e não antes disso ! É isso que se preconiza na índia, pois assim como a moleira do bebê ainda está aberta, a 
Os benefícios que essa massagem proporciona são diversos, entre eles a sensação de bem estar e calma. Ao receber o 'toque', o bebê sente-se mais seguro e acolhido. Os estímulos que eles recebem através do toque, produzem endomorfinas, hormônios neurológicos que reforçam sensações de amor, calor, amizade... um verdadeiro ato de amor!
Então, lembre-se: a hora reservada para aplicar a shantala, é hora de ambos estarem juntos, olho no olho, toque a toque!
Adriana Vieira - Colunista do Guia do Bebê
Adriana Vieira
Instrutora de Yoga Pré-Natal, Babyoga, Shantala e Doula
Praticante de Yoga e meditação desde a gestação há 20 anos.

Algúem é adepta a Shantala?Me contem.
Espero que tenham gostado!
Bjoss
E até a próximaaa!!

28 de setembro de 2014

Top 10: Sapatinhos para Bebês

Olá pessoal!Tudo bem?
Hoje é Domingo e é dia do top 10!!
Confiram uma seleção de fotos de sapatinhos para bebês,cada um mais lindo do que o outro,que separei para mostrar para vocês!
10°







Crochê da Mimi


Amei esse coturno!!!

Espero que tenham gostado e escolha seu preferido!
Bjoss
E até a próximaaa!

27 de setembro de 2014

Tag: Conhecendo a Blogueira


Olá pessoal!
Estou aqui de novo para responder uma Tag chamada: Conhecendo a blogueira.
Quem me tagueou foi a Nathália Oliveira do blog Beleza de Cetim.Agradeço a ela por me dar esta oportunidade de falar um pouco mais sobre mim para os meus leitores.Espero que gostem!
A Tag tem 4 regrinhas.Vamos a elas?
-Citar 11 fatos sobre você.
-Responder as 11 perguntas elaboradas pela pessoa que te tagueou.
-Indicar a 11 blogs para responder a essa tag.
-Elaborar 11 perguntas para as blogueiras que você taguear responderem.

Vamos a Tag...
11 Fatos Sobre Mim:
1-Sou muito teimosa e possessiva (com as minhas coisas e com as pessoas q gosto também).
2-Tenho 11 tatuagens.
3-Amo a cor preta.
4-Tenho uma coleção de brincos.
5-Amo Rock N' Roll.
6-Sou viciada em café preto.
7-Sou mãe solteira (por opção).
8-Adoro parque de diversões.
9-Filmes de terror são os meus preferidos.
10-Escrevia contos eróticos na adolescência. o.O
11-Não sei tocar nenhum tipo de instrumento (infelizmente).

Respondendo as 11 perguntas da Nathália:
1-Qual a sua maior meta para o seu blog?E para a sua vida?
Pretendo das dicas e contar um pouquinho sobre o meu dia a dia com o meu filho,não tenho metas definitivas para o blog.E para a minha vida...é cuidar do meu filho e educá-lo.
2-É a favor da legalização da maconha?
Prefiro não opinar sobre esse assunto.
3-Como reage/reagiria à comentários ofensivos em seus posts?
Eu acho q cada um tem q dar a sua opinião,mas tem q ser regada com muito bom senso,sem palavrões!
4-Teria coragem de pagar muito caro numa roupa/sapatos/bolsa e afins?
Se eu gostar muito da peça,com certeza pagaria.
5-O que ama fazer nas horas vagas?
Bah nem tenho horas vagas kkkk
6-Cite um defeito que as pessoas tem que vc não suporta?
Tem vários.Mas o principal é intolerância.
7-Como foi seu primeiro beijo?Conte-nos tudo,não esconda-nos nada!
Foi com 15 anos.Com um guri de 20.Na frente de uma biblioteca pública.
8-Ganha dinheiro com o blog?Se sim,por quais meios?
Não.Eu o faço por hobby.Mas se ganhar,vou ficar feliz.
9-Qual seu maior medo?
Que alguma coisa aconteça com minha família.
10-O que você acha das blogueiras que ficam famosas e perdem a humildade?
Não assisto.
11-Complete a frase:Sou feliz porque(...)
Tenho um filho lindo!

Blogs que indico para responderem essa Tag:

Minhas perguntas:
1-Qual o nome do seu blog e qual o seu objetivo com ele?
2-Qual sua idade e sígno?
3-Qual o estado que vc mora?
4-Que tipo de bebida que vc mais gosta?
5-Mora sozinha ou com os pais?
6-Qual seu pior defeito?
7-Qual sua melhor qualidade?
8-Trabalha e/ou estuda?Em que?
9-Primavera,verão,outono ou inverno?Pq?
10-Sua opinião sobre política?
11-Sua opinião sobre gravidez na adolescência?

Quando responderem,por favor me avisem.Quero ver todos!
Bjosss
E quem quiser me taguear,fique a vontade!

Fotografia: Pai fotógrafo registra linda amizade entre a filha e seu gato

Olá pessoal!Tudo bem?
Hoje é sábado,então resolvi criar uma série de posts especiais para este dia.
Toda a semana irei postar trabalhos de fotógrafos pais ou mães que registram tudo o que acontece com os seus filhos.
Espero que gostem desta ideia.
Para começar,confiram as fotos do site Indiretas Maternas que mostra o pai fotógrafo russo Andy Prokh que decidiu registrar a linda amizade entre a filha Katherine e o seu gato de pelo curto inglês,Lilu Blue Royal Lada.
"Um fotógrafo deve captar aquilo que ama",diz Prokh.
Katherine,a caminho dos 5 anos,passou toda a vida na companhia de Lilu que a acompanhava na maior parte das tarefas do dia a dia.O pai conseguiu captar tudo com um olhar incrível.
Vejam:












Bjoss 
E até a próximaaa!

26 de setembro de 2014

Ser Mãe É...


Ser mãe é...Descobrir o verdadeiro significado da palavra amor.
É o coração batendo forte ao ver as duas linhas vermelhas no teste de farmácia...
É o nervosismo e ao mesmo tempo o medo de contar para a primeira pessoa da família sobre o resultado do teste de gravidez.
É a angústia e a ansiedade ao fazer o primeiro ultra-som...E ao ouvir as primeiras batidas do coração do bebê é sentir o tempo parar ali naquele momento.É de ter a absoluta certeza que dentro de você tem um serzinho que irá mudar a sua vida para sempre.
Ser mãe é...Planejar nomes,é fazer planos para o quartinho,é enxergar o seu bebê dentro de cada roupinha...É comer sem culpa e ficar feliz com os quilinhos a mais.
Ser mãe é...Bater papo com a barriga,é fazer carinho a todo minuto,é ir fazer xixi a cada meia hora e ficar mega feliz com isso.
Ser mãe é...Sentir pela primeira vez um movimento nem que seja o mínimo possível e já sair contando para todo o mundo que o bebê deu cambalhotas dentro de você.
Ser mãe é...Contar os dias para cada consulta obstétrica e ficar aliviada por saber que está tudo bem.
Ser mãe é...Já sentir qual vai ser o sexo do seu bebê e na hora que a médica revelar se é menino ou menina é ter a certeza que você é uma expert em advinhações!
Ser mãe é...Agüentar firme e forte cada pitaco e cada opinião alheia que dão para a sua vida.É sentir desejos de madrugada por comidas que justamente não tem em sua geladeira.É ver suas roupas tamanho 36 passar para o 42 em um piscar de olhos.
Ser mãe é...Não ter vergonha de ficar igual uma palhacinha no chá de bebê.É não estar nem aí para o que os outros vão achar do seu andar de "modelo-pata" na rua...
Ser mãe é...Ficar olhando 500 vídeos de partos normais e de partos cesários na Internet.É ficar lendo tudo sobre a gravidez e sobre como cuidar de um recém-nascido.
Ser mãe é...Reconhecer a chegada das verdadeiras contrações.É ficar bem louca arrumando as bolsas para ida a maternidade.É chorar de emoção no meio do caminho por saber que está chegando o tão esperado momento...
Ser mãe é...Agüentar no osso cada dor,cada DOR mesmo.É contar os minutos,os segundos e finalmente ser MÃE é...Ouvir pela primeira vez o chorinho do seu bebê...É ver pela primeira vez o rostinho...É sentir pela primeira vez o seu corpinho frágil em suas mãos...
Ser mãe é...Ficar admirando cada detalhe do seu filho e simplesmente se apaixonar no primeiro instante.
Ser mãe é um presente de Deus!
Sou mãe e amo ser mãe,pois foi assim que descobri o significado do verdadeiro amor...s2

Ps:Escrevi esse texto em um momento de inspiração com o baby Jon dormindo ao meu lado e me interrompendo por algumas vezes para mamar...Ele ficou agitado.Acho que estava sentindo que a mamãe tava contando sobre a sua vidinha particular kkkk.

Espero que tenham gostado do texto!
Me digam nos comentários o que acharam?
Bjoss
E até a próximaaa!

25 de setembro de 2014

Cama Compartilhada

Olá pessoal!Tudo bem?
O assunto de hoje vai ser cama compartilhada.
É certo ou errado?Cercado de polêmica,o tema é pauta entre mães e médicos.
Confira todos os prós e contras em uma matéria super completa.
Só quem tem filhos sabe o quanto é gostoso tirar uma sonequinha durante o dia, agarradinha com o bebê. É tão bom que muitas mamães adotam a prática conhecida como cama compartilhada também para o sono noturno. Cercado de polêmica, o tema está na roda de conversa, comunidades em sites de relacionamento, fóruns e, principalmente, na cabeça das mães. É certo ou errado?
A Organização Mundial da Saúde recomenda que os bebês até o sexto mês de vida durmam num bercinho ou carrinho colocado ao lado da cama da mãe, mas nunca na mesma cama. "Isso ajuda para que ela possa, com mais facilidade, perceber se algo não anda bem com o bebê, se tem reações como soluço ou vômito, e também para facilitar a amamentação - não precisa levantar e se deslocar podendo voltar a dormir mais rapidamente após as mamadas", ressalta a pediatra Márcia Pradella-Hallinan.
E a OMS vai além daquela história de que o bebê vai ficar mimado, mal acostumado ou que nunca mais vai querer dormir sozinho. O consenso da Organização diz respeito a assuntos como a morte súbita de bebês e os acidentes que podem ser ocasionados, sendo rigorosamente defendido pela maioria dos pediatras. "Os pais podem rolar sobre o bebê, chutá-lo, empurrar para fora da cama. Há também o risco de sufocamento ou re-inalação do ar expirado, que pode levar à diminuição da reação de despertar", cita a médica.
Mas as mães não se dão por vencidas. Há quem diga que a cama familiar ocasiona um maior grau de vigilância materna. "Nós ficamos em alerta o tempo todo. Qualquer sonzinho ou mexidinha vinda do bebê, já estamos de olhos abertos", diz Ana Carolina Marques, mãe de Valentina, de dois meses, e adepta fervorosa da cama compartilhada. A mamãe afirma, ainda, que a prática é unanimidade entre suas amigas. E todas aprovam. "Nunca ouvimos dizer que alguém amassou o bebê enquanto dormia", provoca. 

Há pontos positivos?
A psicóloga e consultora em amamentação Bianca Balassiano Najm diz que há muitas vantagens na prática, desde assegurar-se de que as necessidades físicas, emocionais e psicológicas do bebê estão sendo atendidas até garantir um pouco mais de sono noturno para a mãe. "Não se pode querer que um bebê que acabou de se desenvolver durante nove meses dentro do útero da mãe, em conexão e simbiose profundas, de um dia para o outro aprenda a confortar-se com tranquilidade em um ambiente distante e frio. Isso gera ansiedade e frustração para essa criança, que passa a encarar a hora do sono como um momento de desconexão e desespero", explica.
Alguns atribuem a prática da cama compartilhada à carência materna. No entanto, a psicóloga defende que o nome é outro: dedicação. "As crianças são, sim, dependentes e espelho de seus cuidadores. Portanto, estar presente na criação de seu filho, dedicando-lhe tempo e estando disponível não é carência, mas sim um investimento na educação de alguém que depende absolutamente de você".

Torcida contra
Apesar de um enorme número de adeptos à cama compartilhada, existem muitas mães e especialistas que acham melhor, desde cedo, cada um ter o seu espaço. "Mesmo se a casa tiver poucos quartos e se o cômodo for utilizado por várias pessoas, sempre se deve recomendar que cada um tenha o seu canto e que o bebê aprenda e sinta prazer em estar no seu lugar", orienta a drª. Márcia Pradella-Hallinan. A psicóloga clínica, especialista em orientação para pais, Valéria Barcellos concorda. "O berço e o quarto do bebê são referenciais importantes. Ele percebe onde está e, se pudesse, diria: esse é o meu quarto! Um bebê pode estranhar quando se modifica o cômodo e desloca-se o berço do lugar original. Esse fato talvez comprove como é importante preservar o seu espaço, pois é o local onde ele se identifica e, muitas vezes se tranquiliza", alerta.
Para a especialista só há pontos negativos na prática da cama compartilhada. "O bebê, no berço, dorme confortavelmente e começa a desenvolver a sua individualidade. Quando os pais, ao som do choro, entendem que ele está sozinho e quer vir para a cama do casal, inicia-se uma grande confusão. O bebê nasce prontinho para aprender com suas experiências e aos pais cabe a responsabilidade de criar uma rotina de vida diária para ele. O tempo de espera entre a fome e o peito, por exemplo, é precioso. Nesse breve intervalo os pais confirmam ao bebê que ele tem capacidade de adiar a satisfação imediata de suas necessidades. Aos poucos, a criança aprende a esperar e a tolerar frustrações, o que se configura como base de um desenvolvimento saudável", explica Valéria.
Susana Matias, mãe de Renata, de oito meses, faz parte do grupo que não quer nem ouvir falar em cama compartilhada. "Desde que nasceu a minha filha dorme no berço, que fica no quartinho dela. Não me importo de levantar várias vezes durante a madrugada para amamentar. Afinal, sabia que seria assim e me preparei para isso. Ela é uma criança saudável, amorosa e muito feliz. Acho que não preciso deixa-la dormir na minha cama para que ela saiba o quanto a amo", pondera.

Como fica a intimidade?
Uma questão fundamental é que a decisão da cama compartilhada seja do casal. De nada adianta ser um desejo unilateral. "Alguns casais simplesmente não conseguem entrar em consenso, o que pode trazer brigas desnecessárias. É preciso também que o casal entre em acordo quanto à relação sexual", orienta a psicóloga Bianca Balassiano Najm.
E esse é outro ponto que merece ser discutido no olho do furacão. Muitos dizem que a intimidade do casal fica prejudicada pela presença do bebê no quarto. No entanto, as defensoras da cama compartilhada estão a postos para dizer que não é bem assim, não! "A casa tem outros cômodos, o dia tem 24 horas. É necessário usar a criatividade! O bebê vem para unir o casal e não para ser um motivo de afastamento", diz Marisa Corrêa, mãe de Théo, de seis meses.
Segundo Bianca Najm esse é mesmo o caminho das pedras! "É claro que, com a cama compartilhada, o casal vai começar a explorar outros cômodos, ou mesmo descobrir horários mais favoráveis, quando seu bebê dorme mais profundamente", orienta a especialista, que completa: "É muito mais fácil manter a atração e elevar a libido quando ambos os pais estão descansados. E, muitas vezes, o descanso só é conseguido através da cama compartilhada. Para a mãe que amamenta durante a noite, essa é a única possibilidade de alongar suas horas de sono, pois mantendo o bebê ao seu lado ele mesmo alcança o seio e se serve, sem precisar fazer com que a mãe desperte totalmente. Não há dúvidas de que uma mulher com o sono em dia terá mais energia para dedicar-se também ao seu parceiro".
No mais, é dar tempo ao tempo! Quando começar a entender melhor as coisas, a criança tende a reconhecer o espaço de cada um. "Não se espera que uma criança menor de três anos seja capaz de fazê-lo. A criança que é permitida e acolhida no quarto de seus pais saberá respeitar os momentos de privacidade quando estiver mais crescida, pois aquilo não lhe foi proibido, pelo contrário, ela ali se sente bem vinda e sabe que tem livre trânsito" esclarece Bianca.

Se cultivado o hábito, como mudar?
Pode ser que, já maiorzinha, a criança tenha dificuldades em dormir no seu próprio quarto. "Os pais devem explicar, em linguagem adequada, o porquê da mudança e quais os benefícios que dormir em seu próprio quarto ou berço trará à criança. Algumas aceitam bem rapidamente a mudança de hábitos e dormem a noite toda. Outras resistem mais", avisa a psicóloga Valéria Barcellos.
De acordo com a especialista, não há nada de errado em negar o quarto do casal para o filho. A criança se torna afetuosa quando é suprida dos cuidados adequados às suas necessidades, mesmo que não seja na cama dos pais. "Um bebê satisfeito fica tranqüilo, e seus cuidadores também. Colocar o bebê para dormir em seu próprio espaço transmite segurança e respeito a sua individualidade. Com o hábito de pernoitar na cama dos pais, pode tornar-se uma criança que impõe seus desejos e insatisfeita em qualquer situação. É bastante comum presenciar gritos em shopping center porque a mãe não quer comprar o brinquedo desejado pela criança, por exemplo. O fato de ouvir um "não" pode ser o suficiente para desencadear uma birra gigante".
Polêmicas à parte, vamos combinar: não existem métodos universais para criar um filho. Conselhos, informações de livros, internet, conversa com amigos e especialistas podem fazer as mamães refletirem sobre alguns aspectos, mas não devem ser encarados como regras, pois, cada bebê é único e reage de uma forma diferente. Por isso, preste atenção aos seus instintos maternais e, principalmente, ao que diz o seu filhote! "Você simplesmente deve fazer algo se, em sua consciência, isso lhe parece o mais natural a ser feito", aconselha Bianca Najm. Se a opção for contrária à da cama compartilhada, não fique se achando a pior mãe do mundo. "Dá para usar o artifício num final de semana, por uma horinha pela manhã", finaliza a drª. Márcia.

Algumas orientações para praticar a cama compartilhada
- Certifique-se de que a cama é grande e firme (não use colchão d´água ou sofá) o bastante para acolher bebê, mamãe e papai. "Há muitas alternativas quando falamos de cama compartilhada - berço acoplado, colchão ao chão, etc.", lembra Bianca Balassiano Najm.
- A ordem deve ser essa mesma: bebê, mamãe e papai. O bebê deve dormir ao lado da mãe e nunca entre os pais. Lembra que já falamos sobre o aumento da vigilância materna? 
- Tome precauções para que o bebê não caia da cama. No entanto, evite usar travesseiros fofos e almofadas, pois há risco de sufocamento.
- Se o seu cabelo for comprido, prenda-o.
- Não durma com roupas que tenham cordões e retire qualquer acessório.
- Nada melhor para o bebê que o cheiro da mãe. Por isso, não use perfumes.
- Por higiene e segurança, retire os animais de estimação do quarto.
- Jamais compartilhe a cama com seu bebê sob a influência de drogas, álcool, medicação para resfriado e alergia que não necessitam de receita médica para a compra ou se estiver extremamente privado do seu sono.
- Nunca coloque a criança para dormir sozinha em uma cama de adulto. Sempre deverá haver supervisão.
Fonte:http://bebe.bolsademulher.com/


Minha Experiência:
Desde a primeira noite do baby Jon aqui em casa,eu pus ele na minha cama para dormir junto comigo.(Tenho uma cama de solteiro).
Minha intenção era para que ele dormisse no berço,como isso não aconteceu,resolvi então desmontá-lo e guardá-lo para ele usar quando estiver mais velho.Se é que vou conseguir dormir longe do meu bebezinho,né gente?!kkkkk

Primeira noite do bebê aqui em casa. s2


Espero que tenham gostado!
Bjoss
E até a próximaaa!